Bolsa de valores opera em queda, na contramão de Nova York

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/B3

O Ibovespa recua 0,16%, aos 120.506,08 pontos, às 10h24 desta sexta-feira (16), enquanto os futuros de Nova York apontam para mais um dia de ganhos.

Nos destaques do Brasil, segue o impasse do Orçamento, com o presidente Jair Bolsonaro tendo até quinta-feira (22) para definir se veta o texto aprovado no Congresso, como quer o ministro da Economia, Paulo Guedes. A ação, no entanto, coloca em risco sua aliança com o Centrão.

Por 8 a 3, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu ontem (15) derrubar as condenações impostas pela Operação Lava Jato ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o que o libera para a corrida presidencial de 2022. Para o mercado, a leitura é de mais polarização e mais risco ao teto de gastos.

Ficou em aberto se as ações penais contra Lula (que são o tríplex do Guarujá, o sítio de Atibaia e mais duas sobre o Instituto Lula) ficam com a Justiça Federal do Distrito Federal ou de São Paulo e se toda a investigação feita em Curitiba será arquivada e tudo começará do zero, ou se o trabalho realizado pela Lava-Jato poderá ser reaproveitado. Este julgamento acontece na próxima quinta-feira (22).

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) variou 0,74% e acumula alta de 7,09% nos últimos 12 meses. A última leitura havia sido de 1% e alta menos intensa do preço da gasolina contribuiu para a desaceleração.

A Petrobras (PETR3 PETR4) realiza hoje reunião do Conselho de Administração para aprovar a posse do novo presidente da empresa, o general Joaquim Silva e Luna, e da nova diretoria.

Destaques mercados do exterior

O bom-humor predomina, com bons indicadores tanto dos EUA quanto da China.

Os novos pedidos de seguro-desemprego nos EUA vieram bem melhor do que a projeção: ficaram em 576 mil, quando eram aguardadas 700 mil reivindicações.

Este é o nível mais baixo para reivindicações iniciais desde 14 de março de 2020, quando 256 mil pedidos foram feitos.

As vendas no varejo tiveram forte recuperação em março. Subiram 9,8%, resultado superior aos 5,9% da projeção e ao recuo de 2,7% de fevereiro.

A alta vem como consequência da entrega dos cheques de US$ 1,4 mil do pacote de auxílio à pandemia do presidente local Joe Biden. E também da bem-sucedida campanha de vacinação no país, que permitiu a reabertura do comércio.

A produção industrial, divulgada pelo Federal Reserve (Fed), apontou alta de 1,4% em março, ante recuo de 2,6% em fevereiro. Ainda assim, o resultado veio abaixo da projeção de 2,8%.

Além do mais, ainda há os balanços positivos das empresas no primeiro trimestre.

A China também divulgou dados bastante positivos. O Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre cresceu 18,3% na comparação com igual período do ano passado. Ainda assim, ficou abaixo da projeção de 19,2%.

As vendas no varejo dispararam 34,2% em março, na comparação anual. E a produção industrial cresceu 14,1% no mesmo período – ficando também abaixo da expectativa, que era de 16,5%.

Já da Europa vem a informação de que o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 1,3% em março, na comparação com o mesmo mês de 2020. A variação de fevereiro para março deste ano foi de 0,9%. A leitura ficou em linha com a projeção.

Veja as cotações às 10h24:

Mercados Nova York

  • S&P: +0,26%
  • Nasdaq: +0,12%
  • Dow Jones: +0,23%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: +1,04%
  • FTSE, Reino Unido: +0,55%
  • CAC, França: +0,59%
  • FTSE MIB, Itália: +0,51%
  • Stoxx 600: +0,60%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: +0,14%
  • Xangai, China: +0,81%
  • HSI, Hong Kong: +0,61%
  • ASX 200, Australia: +0,07%
  • Kospi, Coreia: +0,13%

Petróleo

  • Brent (junho 2021): US$ 67,16 (+0,31%)
  • WTI (maio 2021): US$ 63,62 (+0,25%)

Ouro

  • Ouro futuro (junho 2021): US$ 1.767,30 (+0,03%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian: US$ 160,37 (+0,92%)