Mercados globais sobem; Ibovespa futuro abre em alta

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Os mercados futuros de Nova York e as bolsas europeias operam com ganhos, às 7h40, nesta sexta-feira (16).

No Brasil, Ibovespa futuro abriu em alta de 0,28%, aos 99.380 pontos.

Os mercados internacionais buscam recuperação após as perdas de ontem, por consequência da segunda onda do novo coronavírus e a novela do pacote de ajuda econômica dos EUA no radar.

Perdeu a Money Week?
Todos os painéis estão disponíveis gratuitamente!

O presidente dos EUA, Donald Trump, sugeriu aumentar o pacote de US$ 1,8 trilhão em uma tentativa de garantir a aprovação dos democratas no Congresso, mas a sugestão foi rejeitada pelo líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell.

Os dados de quinta-feira mostraram um aumento inesperado nos pedidos de auxílio – desemprego nos EUA, o maior desde agosto -, um sinal preocupante para um mercado de trabalho cuja recuperação já estava desacelerando.

Em indicadores, hoje saem as vendas no varejo, a produção industrial medida pelo Federal Reserve (Fed) e o Índice de Confiança do Consumidor de Michigan.

Na Europa, foram frustradas as tentativas de negociação entre Reino Unido e União Europeia para um acordo pós-Brexit.

Quanto ao coronavírus, os países europeus seguem adotando medidas parciais de bloqueios na tentativa de evitar que a Covid-19 colapse o sistema de saúde novamente.

Destaques no Brasil

Repercute a fala do ministro da Economia, Paulo Guedes, de que já admite desistir de um imposto sobre transações financeiras.

O leilão do Tesouro Selic (LFTs) ficou aquém do esperado pelo governo, sinalizando que os investidores seguem preocupados com o risco fiscal.

As eleições municipais começam a ganhar corpo, abafando o noticiário político e por consequência, empurrando discussões importantes, como as Reformas Tributária e Administrativa para depois, o que mantém o risco fiscal pesando sob o sentimento dos investidores.

Ontem, a divulgação do IBC-Br, prévia do Produto Interno Bruto (PIB), revelou avanço de 1,06% em agosto, abaixo da projeção de 1,7%.

*Com Filipe Teixeira, da Wisir.

Veja as cotações às 9h05:

Mercados futuros de Nova York

  • S&P: +0,30%
  • Nasdaq: +0,53%
  • Dow Jones: +0,31%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: +1,07%
  • FTSE, Reino Unido: +1,36%
  • CAC, França: +1,60%
  • FTSE MIB, Itália: +0,88%
  • Stoxx 600: +0,92%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: -0,41%
  • Xangai, China: +0,13%
  • HSI, Hong Kong: +0,94%
  • ASX 200, Austrália: -0,54%
  • Kospi, Coreia: -0,83%

Petróleo

  • WTI (novembro 2020): US$ 40,62 (-0,83%)
  • Brent (dezembro 2020): US$ 42,75 (-0,95%)

Ouro

  • Ouro futuro (dezembro 2020): US$ 1.913,70 a onça-troy (+0,25%)

Minério de ferro

  • Contratos futuros bolsa de Dalian: US$ US$ 117,21 (-0,63%)