Bolsa opera em queda, mesmo após dados positivos de serviços

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/B3

O Ibovespa opera em queda de 0,15%, aos 105.523,25 pontos, às 14h52.

Nesta quinta-feira (13) foi divulgada pelo IBGE a Pesquisa Mensal de Serviços, que apontou que o setor cresceu 2,4% na passagem de outubro para novembro, após dois meses de taxas negativas. Com isso, o setor ficou 4,5% acima do patamar pré-pandemia, registrado em fevereiro de 2020, mas está 7,3% abaixo do recorde alcançado em novembro de 2014.

Repercute ainda no mercado o IPCA de 2021, que ficou em 10,06%, acima das projeções, e reforça a tese de alta de 1,5 ponto porcentual na Selic na próxima reunião do Copom, marcada para 1 e 2 de fevereiro. 

Money Week segue até sexta

A Money Week, evento online e gratuito daEQI Investimentos, segue até sexta-feira (14), recebendo grandes nomes do mundo dos investimentos. 

Ontem (12), foi a vez de Felipe Miranda, da Empiricus, e de Paul Krugman, Nobel de Economia. Ettore Marchetti, CEO da EQI Asset, foi convidado a analisar as duas palestras. 

Para hoje, tem muito mais informação de qualidade, com Carol Dias, Juliano Custodio e Edgar Abreu

Michel Temer e Sérgio Moro abriram as discussões na terça-feira (11) e você pode acompanhar todos os painéis na íntegra, clicando aqui e fazendo seu cadastro. Não perca! 

Mercados do exterior

A inflação ao consumidor (IPC ou CPI na sigla em inglês) dos EUA acumulada de 2021 ficou em 7%, maior valor desde 1982, vindo de 1,4% em 2020.

Já hoje foi divulgada a inflação ao produtor. O Índice de Preços ao Produtor (IPP ou PPI) cresceu 0,2% em dezembro. Houve uma desaceleração com relação a novembro, que registrou alta de 0,6%. No acumulado do ano, a alta foi de 9,7%. Este foi o maior patamar desde 2010, quando teve início a série histórica.

O resultado mensal ficou pouco abaixo da projeção de mercado, que era de 0,4%. Já a projeção do resultado anual era de 9,8%.

A inflação alta nos EUA, somada à taxa de desemprego positiva (3,9%) do último payroll, reforçam a necessidade de subida de juros pelo Federal Reserve (Fed), o que é aguardado para ocorrer na próxima reunião do comitê de política monetária, dias 25 e 26 de janeiro. A expectativa dominante é por 0,25 ponto porcentual, com mais três ou quatro altas ainda este ano.

Hoje ainda, os novos pedidos de seguro-desemprego dos EUA ficaram em 230 mil, ante projeção de 200 mil.

Mercados de Nova York

  • Dow Jones: +0,07%
  • S&P: -0,58%
  • Nasdaq: -1,31%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: -0,26%
  • FTSE, Reino Unido: -0,11%
  • CAC, França: -0,77%
  • FTSE MIB, Itália: +0,16%
  • Stoxx 600: -0,26%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: -0,96%
  • Xangai, China: -1,17%
  • HSI, Hong Kong: +0,11%
  • ASX 200, Austrália: +0,48%
  • Kospi, Coreia: -0,35%

Petróleo

  • Brent (dezembro 2021): US$ 84,84 (+0,20%)
  • WTI (novembro 2021): US$ 82,72 (+0,10%)

Ouro

  • Ouro futuro (dezembro 2021): US$ 1.820,80 (-0,36%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian: US$ 114,13 (-0,68%)