Bolsa de valores segue em queda; setor de serviços recua

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/B3

O Ibovespa opera em queda de 1,13%, aos 106.373 pontos, perto das 13h14.

Destaque nesta sexta-feira (12) para o setor de serviços, que recuou 0,6% na passagem de agosto para setembro e interrompeu uma sequência de cinco meses de altas. A projeção era de alta de 0,5%. 

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Ainda assim, o setor segue 3,7% acima do patamar pré-pandemia, registrado em fevereiro do ano passado, mas está 8% abaixo do recorde alcançado em novembro de 2014. 

Na comparação com setembro de 2020, o ganho é de 11,4%. Em 12 meses, é de 6,8%.

Ontem (11), o volume de vendas no varejo também ficou aquém das projeções, com recuo de 1,3% em setembro. A expectativa era por queda de 0,6%. Na comparação com o mesmo período de 2020, a queda é de 5,5%.

Já na quarta, vale retomar, o susto foi com o IPCA, inflação oficial, que subiu 1,25% em outubro, também acima das expectativas. O indicador acumula 8,24% no ano e 10,67% nos últimos 12 meses. 

Ou seja, a inflação segue em alta, mas está havendo uma retração no consumo. O mercado acompanha e junta todos estes dados para projetar para quanto deve ir a Selic na reunião de 7 e 8 de dezembro do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. As apostas até aqui variam de 1,5 ponto porcentual, como previu o comitê em sua última ata, e 2 pontos. Atualmente, a Selic está em 7,75%.

No campo político, que vem mexendo bastante com os ativos, a PEC dos Precatórios deve ser apreciada em breve pelo Senado. Segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, a PEC não é calote: “Estou lutando pelo teto de gastos”, disse em evento ontem.

Balanços do 3TRI21

Magazine Luiza (MGLU3) registra lucro líquido de R$ 143,5 milhões no terceiro trimestre de 2021 (3TRI21), queda de 30,3% na comparação com igual período de 2020.

B3 (B3SA3) tem lucro líquido de R$ 1,17 bilhão, com aumento de 3,5% sobre a base anual.

Raízen (RAIZ4) informa lucro líquido 2,5 vezes maior em relação ao mesmo período do ano anterior: R$ 1,07 bilhão.

Cogna (COGN3) reduz prejuízo líquido ajustado em 25,2%, com R$ 121,8 milhões.

CCR (CCRO3) registra alta de 55,5% no lucro líquido, com R$ 183,9 milhões.

BR Malls (BRML3) vê lucro líquido ajustado mais do que dobrar: R$ 94,7 milhões.

Ambipar (AMBP3) lucra R$ 43,7 milhões, contra R$ 0,2 milhão do 3TRI20.

IRB (IRBR3) registrou queda de 27% no prejuízo líquido: R$ 155,7 milhões.

Lojas Renner (LREN3) reporta lucro líquido de R$ 172 milhões, revertendo prejuízo de R$ 82,9 milhões no 3TRI20.

Natura (NTCO3) tem queda de 28,6% no lucro líquido consolidado, com R$ 296,6 milhões. 

CPFL (CPFE3) reporta lucro líquido de R$ 1,43 bilhão, com aumento de 6,2%.

EzTec (EZTC3) tem lucro de R$ 145,2 milhões, com crescimento de 20,8%.

Cyrela (CYRE3) registra lucro líquido de R$ 238 milhões, com retração de 83,1%.

Confira a cobertura completa dos balanços no Radar Corporativo.  

Mercados do exterior

Após cinco semanas consecutivas de ganhos, as bolsas de Nova York iniciam a sexta-feira (12) em tendência de alta, com índices caminhando para encerrar a semana na estabilidade.

As preocupações por lá são com a inflação, que veio acima do esperado e acende o alerta de que o Fed pode aumentar juros antes do previsto – vale lembrar que, para o final do mês, está previsto o início do tapering, com US$ 15 bilhões a menos injetados na economia mensalmente. 

O mercado de treasuries retorna do feriado de quinta (12).

Em indicadores, o relatório de empregos Jolts, dos EUA, apontou estabilidade em setembro, com 10,4 milhões ofertas de vagas. E o sentimento do consumidor, da Universidade de Michigan, registra queda a 66,8 pontos (a expectativa era 72,5) em novembro.

Na zona do euro, a produção industrial recuou 0,2% em setembro, resultado melhor do que a expectativa de queda de 0,7%. Na comparação anual, houve crescimento de 5,2%. 

Mercados de Nova York

  • Dow Jones: +0,25%
  • S&P: +0,18%
  • Nasdaq: +0,22%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: +0,14%
  • FTSE, Reino Unido: -0,32%
  • CAC, França: +0,34%
  • FTSE MIB, Itália: +0,05%
  • Stoxx 600: +0,12%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: +1,13%
  • Xangai, China: +0,18%
  • HSI, Hong Kong: +0,32%
  • ASX 200, Austrália: +0,83%
  • Kospi, Coreia: +1,50%

Petróleo

  • Brent (dezembro 2021): US$ 81,90 (-1,17%)
  • WTI (novembro 2021): US$ 80,40 (-1,46%)

Ouro

  • Ouro futuro (dezembro 2021): US$ 1.857,80 (-0,33%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian: US$ 85,65 (-1,62%)