Ibovespa abre em alta, futuros de NY operam mistos

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: bolsa-burak-k-pexels

O Ibovespa abre em alta de 0,69%, aos 126.298 pontos nesta segunda-feira.

Seguem na pauta os muitos rumores de Brasília, com CPI da Pandemia, denúncias de propina na compra de vacinas e também de “rachadinhas”, além de embates institucionais entre governo, Congresso e Supremo Tribunal Federal.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Para o investidor, outro tema essencial é a Reforma Tributária e a taxação de dividendos e fundos imobiliários. Esta será a última semana para o tema ser debatido antes do recesso do Congresso.

Boa notícia é que a média móvel de novas infecções por Covid teve queda de 33% em comparação com duas semanas atrás e passou a ser de 45,701 mil.

Além disso, o estado de São Paulo anunciou que até 20 de agosto terá aplicado ao menos uma dose de vacina contra Covid em toda a população adulta, iniciando a seguir a vacinação de adolescentes.

Em indicadores, em mais uma rodada de expectativas do mercado, o boletim Focus desta segunda-feira trouxe revisões de alta para todos os principais indicadores da economia em 2021 – assim como de alguns para 2022.

Segundo a estimativa do mercado, a Selic deverá chegar em dezembro a 6,63%, ante projeção de 6,50% há uma semana. Foi elevada também a projeção para a Selic no ano que vem, que subiu de 6,75% para 7%.

Já o Índice de Preços ao Consumidor Semanal da Fipe, que acelerou a 0,86% na primeira leitura de julho, ante 0,81% da última e 0,52% da primeira leitura do mês passado.

Na quarta-feira, sai o IBC-Br, do Banco Central, com a prévia para o PIB. E cinco IPOs acontecem na semana: 3tentos (TTEN3, na segunda-feira, 12), BBM Logística (BBML3, na terça-feira, 13), Smartfit (SMFT3, na quarta-feira, 14), CBA (CBAV3, na quinta-feira, 15) e Intercement (ICBR3, na sexta-feira, 16).

Destaques no Exterior

No exterior, os investidores seguem preocupados com a disseminação da variante delta, especialmente nos países asiáticos, e com a queda nas taxa de vacinação no primeiro mundo. A Pfizer define sobre uma terceira dose de seu imunizante contra a Covid, diante dos novos casos.

Ao mesmo tempo, o mercado segue estudando sobre quando o Federal Reserve, banco central americano, irá reduzir os estímulos.

Ao longo da semana, destaque para o início da temporada de balanços do segundo trimestre nos EUA, com o mercado acompanhando se o crescimento acelerado do país na retomada já começou mesmo a esfriar.

Destaque também para inflação ao consumidor e ao produtor dos EUA (terça e quarta, respectivamente), e para o PIB da China, que também sai na quarta.

A produção industrial de junho nos EUA será divulgada na quinta e as vendas do varejo, na sexta.

Os dados dos pedidos de seguro-desemprego americano, na quinta, também pedem atenção, já que o mercado de trabalho é foco do Fed na decisão de reduzir ou não os estímulos.

Veja as cotações às 10h25:

Mercados de Nova York

  • S&P: -0,01%
  • Nasdaq: +0,46%
  • Dow Jones: -0,26%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: +0,17%
  • FTSE, Reino Unido: -0,23%
  • CAC, França: +0,11%
  • FTSE MIB, Itália: +0,46%
  • Stoxx 600: +0,34%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: +2,25%
  • Xangai, China: +0,67%
  • HSI, Hong Kong: +0,62%
  • ASX 200, Austrália: +0,83%
  • Kospi, Coreia: +0,89%

Petróleo

  • Brent (setembro 2021): US$ 74,62 (-1,23%)
  • WTI (agosto 2021): US$ 73,61 (-1,27%)

Ouro

  • Ouro futuro (agosto 2021): US$ 1.804,30 (-0,35%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian: US$ 183,57 (+1,45%)

 

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3