Ibovespa opera em alta, na contramão de Nova York

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Divulgação

O Ibovespa opera em alta de 0,65%, aos 118.424,69 pontos nesta segunda-feira (12), indo de contramão aos mercados de Nova York, que abriram em queda, dando uma pausa nos recordes da semana passada.

No país, são muitos os temas do dia e da semana.

Hoje, a Petrobras (PETR3 PETR4) realiza assembleia para confirmar o general Joaquim Silva e Luna, indicado por Jair Bolsonaro, como presidente. Mas o que promete emoção é a eleição do Conselho de Administração da empresa, já que 7 de 11 candidaturas estão sendo questionadas por acionistas minoritários e membros do Conselho.

Análises e Resumos do mercado financeiro com leituras de 5 minutos. Conheça a EQI HOJE

O Boletim Focus, com as projeções para a economia, trouxe nesta segunda-feira (12) nova expectativa de aumento para a Selic, taxa básica de juros, em 2021. Antes projetada em 5% até o final deste ano, agora o mercado aposta em Selic a 5,25% até dezembro.

Vale lembrar que, na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, a taxa básica de juros subiu de 2% para 2,75%, com sinalização de novo aumento de 0,75 ponto porcentual no próximo encontro, que acontece em maio.

O Focus também trouxe aumento na projeção para o IPCA, indicador oficial de inflação, que foi de 4,81% da semana passada para 4,85%. O câmbio também teve elevação da expectativa: de R$ 5,35 para R$ 5,37. Já é a terceira semana seguida de leves aumentos na projeção. O Produto Interno Bruto (PIB), porém, teve queda na expectativa, pela sexta vez: de 3,17% da semana passada para 3,08% nesta semana.

Outro tema da semana será a possibilidade de veto ou não ao Orçamento de 2021, que o ministro da Economia, Paulo Guedes, já chamou de “inexequível”. Os congressistas insistem em manter emendas, mas elas comprometem despesas obrigatórias do governo e, consequentemente, o respeito ao teto de gastos.

No campo político, o dia deve ter desdobramentos quanto a uma ligação telefônica tornada pública entre o presidente Jair Bolsonaro e o senador Jorge Kajuru. Nela, Bolsonaro pede ajuda do senador para que as investigações da CPI da Covid seja estendida a prefeitos e governadores e não se restrinja às ações do governo federal no combate à pandemia. Pede ainda que sejam retomados pedidos de CPI sobre o Supremo Tribunal Federal (STF).

Na sexta, Bolsonaro abriu nova crise com o STF, ao atacar em redes sociais o ministro Luís Roberto Barroso, que determinou a abertura da CPI. O presidente chamou Barroso de “ativista judicial” e o desafiou a investigar os colegas da corte.

Destaques no Exterior

Os Estados Unidos seguem com as mesmas questões: retomada da economia, vacinação bem-sucedida e pacote de US$ 1,9 trilhão de auxílio à pandemia que, juntos, pressionam os rendimentos dos treasuries e podem resultar em inflação e subida mais rápida do que o esperado das taxas de juros.

O clima de otimismo beneficia principalmente as empresas ligadas à reabertura da economia, como companhias aéreas e de turismo.

Na semana passada, o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, e a ata do comitê de política monetária reforçaram que os juros perto de zero ainda permanecem por um bom tempo e que a inflação deve aparecer, mas será pontual.

Destaque na semana para o começo da divulgação dos balanços dos bancos no primeiro trimestre de 2021, que começa na quarta-feira (14). No mesmo dia, tem mais discurso de Powell, no Clube da Economia de Washington, e divulgação do Livro Bege, com os dados regionais de atividade econômica.

Paralelamente, segue em discussão entre presidente e Congresso o novo pacote de infraestrutura proposto por Joe Biden, que promete gerar milhares de emprego e custar mais de US$ 2 trilhões. A proposta acompanha um aumento de impostos para as empresas, o que encontra resistências.

Na Europa, as vendas no varejo vieram acima da projeção em fevereiro. Houve avanço de 3% na comparação mensal, quando a expectativa era de 1,5%. Na comparação anual, houve queda de 2,9%, mas a projeção era pior: de recuo de 5,4%.

Veja as cotações às 15h:

Mercados Nova York

  • S&P: -0,19%
  • Nasdaq: -0,51%
  • Dow Jones: -0,34%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: +0,03%
  • FTSE, Reino Unido: -0,41%
  • CAC, França: +0,05%
  • FTSE MIB, Itália: +0,25%
  • Stoxx 600: -0,44%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: -0,77%
  • Xangai, China: -1,09%
  • HSI, Hong Kong: -0,86%
  • ASX 200, Australia: -0,30%
  • Kospi, Coreia: +0,12%

Petróleo

  • Brent (junho 2021): US$ 63,47 (+0,83%)
  • WTI (maio 2021): US$ 59,84 (+0,88%)

Ouro

  • Ouro futuro (junho 2021): US$ 1.734,60 (-0,58%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian: US$ 154,80 (+2,58%)