Ibovespa abre em queda; Nova York tem alta

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução

Os mercados futuros de Nova York operam em alta na manhã desta sexta-feira (11). O Ibovespa abre em queda de 0,02%, aos 130.056 pontos.

No Brasil, o destaque é a divulgação da Pesquisa Mensal de Serviços de abril, do IBGE. A expectativa é de alta de 0,6%, ante recuo de 4% de março. O salto anual deve ser bem superior, de 18,2%, ante 4,5% de março. Isso decorre da base de comparação baixa com abril de 2020, quando o país vivia ainda o início da pandemia.

Para a semana que vem, o assunto será a Selic, já que Copom se reúne na terça e na quarta (15 e 16) para definir a taxa de juros. As apostas predominantes são de que a taxa vá dos atuais 3,5% para 4,25%, como já adiantou o próprio Copom em sua última ata.

Descubra novos caminhos para multiplicar seu patrimônio. Aprenda hoje a investir R$ 300 mil com os melhores desempenhos.

No entanto, com inflação em alta e bons dados econômicos, as apostas para o ano subiram. Segundo levantamento do Valor, de 104 instituições consultadas, 74 acreditam que a Selic fique entre 6% e 7% até dezembro. Somente 30% acreditam em Selic abaixo de 6%. Comparativamente, antes da reunião de maio do Copom, apenas 20 casas apostavam em Selic chegando a 6%.

No âmbito da pandemia, o presidente Jair Bolsonaro afirmou ontem que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, deve assinar em breve um parecer para suspender a obrigatoriedade do uso de máscaras para quem já foi vacinado ou infectado pela Covid-19. O que os especialistas não recomendam. O tema promete mais polêmica à frente.

A B3 relatou problema técnico esta manhã, que pode vir a impactar a visualização da posição e do saldo em algumas contas. E afirmou que já está atuando para solucionar a questão.

Destaques do Exterior

Tanto nos EUA quanto no Brasil, os temas são taxa de juros e manutenção ou não dos estímulos. É que, na Super Quarta, tanto Fed quanto Copom divulgam suas decisões de política monetária.

Nos EUA, as apostas predominantes são de manutenção. O Fed vem alertando que, apesar dos dados econômicos positivos, o mercado de trabalho ainda demanda atenção. E que a inflação em alta é passageira e natural após a crise.

Ontem (10), mesmo diante de um Índice de Preços ao Consumidor (IPC ou CPI em inglês) acima da projeção (5% em 12 meses, o resultado mais alto em 13 anos), as bolsas fecharam em alta. Os pedidos semanais de seguro-desemprego vieram pouco acima da projeção, mas mantendo a tendência de queda. O que reforça a posição do Fed.

Seguem também as discussões quanto ao pacote de infraestrutura de Joe Biden. Ontem (10), um grupo de dez senadores republicanos e democratas chegou a uma proposta para um pacote de estímulos sem aumento de impostos.

Em indicadores, a Universidade de Michigan divulga o seu índice de Confiança do Consumidor de junho.

No Reino Unido, a leitura mensal do PIB apontou crescimento de 2,3%, mas a produção industrial recuou 1,3% em abril.

Veja as cotações às 10h22:

Mercados de Nova York

  • S&P: +0,21%
  • Nasdaq: +0,13%
  • Dow Jones: +0,33%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: +0,76%
  • FTSE, Reino Unido: +0,63%
  • CAC, França: +0,84%
  • FTSE MIB, Itália: +0,24%
  • Stoxx 600: +0,70%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: -0,03%
  • Xangai, China: -0,58%
  • HSI, Hong Kong: +0,36%
  • ASX 200, Austrália: +0,13%
  • Kospi, Coreia: +0,77%

Petróleo

  • Brent (julho 2021): US$ 72,50 (-0,03%)
  • WTI (julho 2021): US$ 70,43 (+0,20%)

Ouro

  • Ouro futuro (junho 2021): US$ 1.886,30 (-0,53%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian: US$ 195,18 (+5,9%)