Bolsa de valores amplia alta e retoma os 115 mil pontos

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Foto: ibovespa

A bolsa brasileira intensificou a alta no início de tarde desta quinta-feira (10). Perto das 18h, o Ibovespa registrava ganhos de 1,83%, aos 115.130,12 pontos, enquanto que, em Nova York, as bolsas oscilaram entre ganhos e perdas. Na Europa, mercados fecharam mistos.

Destaque para a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), de manter a Selic em 2%. A novidade ficou por conta da sinalização de que o forward guidance deve ser retirado no ano que vem, o que aponta um aumento dos juros básicos, possivelmente já no início do ano.

No campo político, Gilson Machado, ex-Embratur, agora é o ministro do Turismo, no lugar de Marcelo Álvaro Antônio, que se desentendeu, via whatsapp ministerial, com o Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo. Ramos foi chamado de “traíra”, por negociar seu cargo com o Centrão.

Entenda o LPA? Um dos indicadores mais representativos em análises fundamentalistas

Por fim, Arthur Lira é o candidato do governo para a presidência da Câmara dos Deputados.

Pela manhã, a Anvisa autorizou o uso emergencial de vacinas contra o Covid-19, o que pode facilitar a disponibilização do medicamento. Em São Paulo, o Instituto Butantan iniciou o envase da CoronaVac.

Exterior

Nos Estados Unidos, é grande a expectativa pelo anúncio da liberação do uso emergencial da vacina contra o coronavírus da Pfizer. O FDA, órgão de vigilância sanitária do país, deve se pronunciar ainda hoje. Se liberada, a vacinação deve começar já amanhã.

Conquiste sua Independência Financeira. Conheça os 4 Pilares para Investir

Mais cedo, o Departamento de Trabalho dos EUA divulgou que os novos pedidos por seguro-desemprego somaram 853 mil na semana passada, bem acima da projeção de 725 mil e dos 712 mil da semana anterior. É o maior patamar desde setembro.

Na Europa, a presidente da Comissão Europeia, Ursula van der Leyen, afirmou que já existe um plano de contingência para um Brexit sem acordo.

Ontem (9) ela jantou com o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e definiu como uma “grande incerteza” o acordo de saída do Reino Unido da União Europeia. Dentro do plano de contingência, há medidas para garantir as ligações essenciais dos países do bloco econômico com o Reino Unido. Eles estenderam até domingo as discussões.

A chanceler alemã, Angela Merkel, está negociando novas medidas restritivas para o país, que vem registrando recordes seguidos de mortes por Covid-19.

Da China vem a notícia de que novas sanções a autoridades americanas devem ser feitas em breve, com restrição de viagem a diplomatas e suas famílias. A medida vem em resposta ao anúncio de sanção a autoridades chinesas pelos EUA.

Veja as cotações às 17h:

Mercados de Nova York

  • S&P: -0,25%
  • Nasdaq: +0,27%
  • Dow Jones: -0,29%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: -0,33%
  • FTSE, Reino Unido: +0,54%
  • CAC, França: +0,05%
  • FTSE MIB: -0,25%
  • Stoxx 600: -0,44%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: -0,23%
  • Xangai, China: +0,04%
  • HSI, Hong Kong: -0,35%
  • ASX200, Austrália: -0,67%
  • Kospi, Coreia: -0,33%

Petróleo

  • Brent (fevereiro 2021): US$ 50,64 (+3,64%)
  • WTI (janeiro 2021): US$ 47,25 (3,80%)

Ouro

  • Ouro futuro (fevereiro 2021): US$ 1.841,00 (+0,13%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian, China: US$ 148,36 (+6,76%)