Mercados globais operam mistos; Ibovespa futuro abre em alta

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Os mercados globais estão mistos na manhã desta quarta-feira (7), com os futuros de Nova York com ganhos e Europa no negativo. Ásia fechou prioritariamente no positivo, apenas com Japão tendo perdas.

No Brasil, o Ibovespa futuro abriu em alta de 0,89%, aos 96.245 pontos.

Wall Street tenta se recuperar da queda de ontem, quando o presidente americano, Donald Trump, derrubou as bolsas do mundo todo cancelando as negociações sobre o estímulo fiscal até depois das eleições de novembro.

Confira principais Ações para investir em Outubro

“Imediatamente após eu ganhar, aprovaremos um grande projeto de lei de estímulo que se concentra em americanos trabalhadores e pequenas empresas”, twitou Trump, que se encontra atrás de Joe Biden nas pesquisas de intenção de voto.

Segundo a CNBC, Wall Street se divide entre os que acreditam que foi uma mera jogada política de Trump, enquanto outros defendem que o pacote dos democratas, de US$ 2 trilhões, não é mesmo necessário e que é possível reduzir o valor, como querem os republicanos.

A volatilidade aumentou ainda mais este mês, depois que Trump contraiu o coronavírus e os investidores foram afetados pelos altos e baixos das negociações sobre ajuda econômica dos EUA.

Hoje sai a ata da última reunião do Fomc (Comitê Federal de Mercado Aberto, na sigla em inglês), quando as taxas de juros foram mantidas e o comitê apontou que relaxará no controle da inflação em nome do crescimento. Adiantando o que possivelmente estará no documento de hoje, Jerome Powell, presidente do Federal Reserve (Fed) disse ontem que a economia precisa de estímulos fiscais e monetários mais agressivos para uma recuperação econômica que, segundo ele, ainda tem “um longo caminho a percorrer”.

Destaques no Brasil

O acordo de paz entre o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ainda repercute e manteve o bom humor da bolsa ontem, até Trump twitar e acabar com tudo. A bolsa, que se manteve acima de 97 mil pontos por boa parte do tempo, fechou o dia com baixa de 0,49%, indo a 95.615,03 pontos.

O senador Marcio Bittar (MDB-AC) afirmou que a proposta para o Renda Cidadã – novo programa social que o governo tenta criar para substituir o Bolsa Família – deve ficar pronta na semana que vem, “se Deus quiser”.
Bittar havia sido questionado se o Renda Cidadã ficaria para dezembro, depois das eleições municipais. O senador é relator da proposta de Emenda à Constituição conhecida como PEC emergencial, que ainda tramita no Congresso e deve incorporar o Renda Cidadã.
“Semana que vem, se Deus quiser, está pronto”. Um dia antes, na segunda, ele chegou a afirmar após reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, que apresentaria a proposta nesta quarta, aumentando assim os rumores de que tanto a PEC quanto a retomada das Reformas deve mesmo ficar para depois das eleições municipais de novembro.
*Com Filipe Teixeira, da Wisir Research

Veja as cotações às 9h00:

Mercados futuros de Nova York

  • S&P: +0,63%
  • Nasdaq: +0,61%
  • Dow Jones: +0,68%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: -0,46%
  • FTSE, Reino Unido: -0,06%
  • CAC, França: -0,37%
  • FTSE MIB, Itália: -0,18%
  • Stoxx 600: -0,31%

Ásia

  • Nikkei, Japão: -0,05%
  • Xangai, China: fechado por feriado
  • HSI, Hong Kong: +1,09%
  • ASX 200: +1,25%
  • Kospi, Coreia: +0,89%

Petróleo

  • WTI (novembro 2020): US$ 39,66 (-2,48%)
  • Brent (dezembro 2020): US$ 41,75 (-2,11%)

Ouro

  • Ouro futuro (dezembro 2020): US$ 1.889 a onça-troy (-1,01%)