Ibovespa continua em alta, acompanhando mercados globais

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Divulgação

Nesta sexta-feira (7), o Ibovespa opera em alta de 0,65%, aos 120.697 pontos.

Destaque hoje para as vendas no varejo, que recuaram 0,6% em março, ante queda de 0,5% em fevereiro. Este é o terceiro resultado negativo nos últimos quatro meses. Ainda assim, o resultado veio bem acima do projetado pelo mercado, que era um recuo de 7%. A expectativa era que as novas medidas restritivas, adotadas em março, impactassem mais o comércio.

O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) de abril, medido pela FGV, subiu 2,22% em abril, ante 2,17% do mês anterior. A projeção era por recuo para 1,72%.

Baixe agora o guia definitivo para os melhores Investimentos. Invista em suas Escolhas

Com este resultado, o índice acumula alta de 10,38% no ano e de 33,46% em 12 meses.

Segundo André Braz, coordenador da pesquisa, em abril os preços dos combustíveis, que vinham impulsionando a inflação até então, apresentaram queda. No entanto, houve uma nova onda de aumentos entre commodities agrícolas e minerais.

A Anfavea também divulgou os dados da produção e venda de veículos no país. A produção de veículos teve recuo de 4,7% em abril na comparação com março. Em abril, foram produzidos 190,9 mil unidades, enquanto em março, 200,3 mil.

Aprenda hoje a investir em Small Caps e encontre as oportunidades escondidas na Bolsa.

Na comparação com abril de 2020, porém, há crescimento de 10.236,1% – número bastante alto, que se explica por abril do ano passado registrar o início da pandemia e das medidas restritivas de circulação, que fez despencar produção e venda de veículos. Para fins de comparação, em abril de 2020 foram produzidos apenas 1,8 mil unidades.

Em balanços, divulgam resultados do primeiro trimestre M. Dias Branco (MDIA3) e Celesc (CLSC4).

CPI Covid e vacinas

Em depoimento à CPI da Covid, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que todos brasileiros serão vacinados até o fim do ano.

Segundo ele, o governo já acertou a compra de mais 100 milhões de doses da vacina contra o coronavírus. Um primeiro lote, com outras 100 milhões de doses, deve ser entregue até setembro. O segundo chega entre outubro e dezembro. Ele se esquivou de polêmicas sobre cloroquina.

Destaques do Exterior

O destaque desta sexta-feira (7) na agenda econômica é a divulgação do payroll, folha de pagamentos americana, que decepcionou. 

Foram criadas 266 mil vagas em abril. O mercado esperava ansiosamente por um número próximo de 1 milhão de postos de trabalho.

A taxa de desemprego subiu ao invés de cair, como previa o mercado: foi de 6% para 6,1%.

A expectativa era grande porque este é o primeiro payroll que contempla o período pós o pacote de auxílio de US$ 1,9 trilhões de Joe Biden. E também expõe um crescimento, ainda tímido, do mercado de trabalho após a forte campanha de vacinação e a reabertura da economia.

O resultado fraco deve conter os receios com inflação e alta de juros nos EUA antes do que prevê o Federal Reserve (Fed). Também dará argumentos de que a economia está sendo retomada de maneira lenta aos defensores dos programas de Joe Biden – de infraestrutura e também o voltado para as famílias.

Como efeito imediato do payroll, as ações de tecnologia sobem. Isso porque tais empresas dependem muito de empréstimos para crescer. E payroll abaixo da projeção é um bom sinal de que as taxas de juros seguirão zeradas, como prega o Fed.

O payroll surpreende especialmente porque, ontem (6), os novos pedidos por seguro-desemprego nos EUA totalizaram 498 mil na semana, ante 590 mil da semana passada (revisados dos 553 mil anunciados anteriormente). E foi a primeira vez, desde o início da pandemia, que os pedidos ficam abaixo de 500 mil.

Superávit de US$ 4,86 bi na China

Outro dado relevante desta sexta é que a balança comercial chinesa de abril teve superávit de US$ 42,86 bilhões, bem acima da projeção de US$ 28,10 bi do mercado. As exportações subiram 32,3% e as importações, 43,1%.

Também da China vem a notícia de que o PMI (Índice dos Gerentes de Compras) de serviços em abril chegou a 56,3 pontos, ante 54,3 do mês anterior. Já o PMI composto alcançou 54,7 pontos em abril, mais forte do que os 53,1 de março. Este é o nível mais alto já alcançado neste ano. O PMI industrial, divulgado anteriormente, foi de 51,9, ante 50,6 de março.

As leituras acima de 50 pontos do PMI indicam crescimento da atividade. Ao contrário, abaixo de 50, indicam retração.

Veja as cotações às 14h30:

Mercados Nova York

  • S&P: +0,60%
  • Nasdaq: +0,79%
  • Dow Jones: +0,46%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: +1,34%
  • FTSE, Reino Unido: +0,76%
  • CAC, França: +0,45%
  • FTSE MIB, Itália: +0,48%
  • Stoxx 600: +0,89%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: +0,09%
  • Xangai, China: -0,65%
  • HSI, Hong Kong: -0,09%
  • ASX 200, Australia: +0,27%
  • Kospi, Coreia: +0,58%

Petróleo

  • Brent (junho 2021): US$ 68,29 (+0,29%)
  • WTI (maio 2021): US$ 64,87 (+0,25%)

Ouro

  • Ouro futuro (junho 2021): US$ 1.831,90 (+0,89%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian: US$ 190,13 (+6,37%)