Bolsa de valores opera em alta; mercados em Nova York estão mistos

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Ibovespa opera em leve alta às 14h45, com avanço de 0,40%, aos 117.909,88 pontos.

O tema do dia no país será o jantar do qual devem participar o presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e empresários de São Paulo.

O evento será uma manifestação de busca por diálogo entre governo e iniciativa privada. Da parte do empresariado estarão presentes André Esteves (BTG), Luiz Carlos Trabuco Cappi (Bradesco), Carlos Sanchez (EMS), Cláudio Lottemberg (Albert Einstein), Cândido Pinheiro (Hapvida), João Camargo (Alpha FM) e Alberto Saraiva (Habib’s), entre outros. Na pauta deve estar a compra de vacinas pelas empresas.

Não Perca! Começa hoje o evento que vai transformar sua visão sobre Fundos de Investimento Imobiliário

Sobre o mesmo tema, ontem a Câmara dos Deputados aprovou o texto-base do projeto que flexibiliza as regras de aquisição de imunizantes contra Covid-19 pelas empresas. Pelo texto, até mesmo vacinas não autorizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) poderão ser compradas, desde que já utilizadas em outros países e com aval da Organização Mundial da Saúde (OMS). As doses poderão ser doadas integralmente para o Sistema Único de Saúde (SUS), ou a empresa pode optar por doar metade da compra e utilizar a outra metade para vacinar seus funcionários, desde que respeitando as regras de prioridade estabelecidas pelo SUS.

Ontem ainda, o país ultrapassou as 4 mil mortes diárias, chegando a um total de 336.947 mil vítimas da doença. Contrapontos positivos ao cenário de escalada do vírus são que a Fundação Oswaldo Cruz anunciou que está produzindo 900 mil doses diárias da vacina AstraZeneca/Oxford; e que, em São Paulo, o número de internações pela doença vem caindo e há mais pacientes tendo alta do que sendo internados.

Paralelamente, seguem em discussão, mas ainda sem avanços significativos, os ajustes necessários ao Orçamento de 2021. Ontem, em evento do Itaú, Paulo Guedes afirmou que o teto de gastos será mantido, enquanto o país não tiver responsabilidade com o orçamento. “Algum dia, no futuro, vamos poder rever isso, mas não agora”, afirmou. Disse ainda que vê boa vontade no Congresso para promover as correções. 

Ainda no campo político, em mais uma troca relevante de comando, o presidente Jair Bolsonaro autorizou ontem o novo ministro da Justiça, Anderson Torres, a substituir o atual diretor da  Polícia Federal, Rolando de Souza, por Paulo Maiurinho, ex-chefe de segurança do Supremo Tribunal Federal.

Indicadores

O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) subiu 2,17% em março, ante 2,71% de fevereiro. No ano, o indicador acumula alta de 7,99%. E, em 12 meses, de 30,63%. Um ano atrás, o índice variava 1,64% e acumulava elevação de 7,01% em 12 meses. Em março, a inflação para o produtor e para a construção civil recuou, mas a inflação ao consumidor registou aceleração.

produção de veículos no Brasil subiu 1,7% na comparação entre fevereiro e março de 2021. Na comparação com março do ano passado, o avanço é de 5,5%. A informação foi divulgada pela Anfavea.

Foram produzidos 200,3 mil carros. Comparativamente, em março de 2020 foram 190 mil. No trimestre de janeiro a março, houve aumento de 2% na produção, com 597,8 mil novos automóveis. Os licenciamentos foram de 167,4 mil para 189,4 mil entre fevereiro e março, com alta de 13,1%. Houve avanço também na comparação com março de 2020, de 15,7%. No trimestre, porém, houve recuo de 5,4%. Os licenciamentos foram 527,9 mil, ante 558,1 mil do mesmo período do ano passado.

Destaques no Exterior

Os mercados americanos operam sem direção definida à espera da ata do Fomc, comitê de política monetária do banco central de lá, o Federal Reserve (Fed).

O cenário nos EUA é de retomada da economia, com fortes indicadores comprovando a melhoria geral (como os recentes recordes do payroll e do Índice dos Gerentes de Compras, PMI). A bem-sucedida campanha de vacinação também ajuda. Ontem (6), o presidente Joe Biden anunciou que, até o próximo dia 19, todos os adultos americanos poderão receber a vacina.

Para complementar o contexto de otimismo, há o pacote de US$ 1,9 trilhão de auxílio durante a pandemia já sendo aplicado e outro de infraestrutura ainda em debate no Congresso, que ultrapassa os US$ 2 trilhões e deve acelerar o mercado de trabalho.

E os temores com a inflação seguem controlados, já que, mesmo com todas estas notícias juntas, o rendimento dos papéis do tesouro segue longe do 1,77% de pico registrado na semana passada. A ata de hoje do Fomc deve reafirmar que os juros seguem perto de zero ainda por um bom tempo (a projeção é 2023), o que deve manter a tranquilidade do mercado.

Nesta linha, a diretora do Fed de Atlanta, Loretta Mester, afirmou à CNBC que a retomada é uma realidade, mas ainda insuficiente para que o banco central retire sua política de estímulos.

Hoje é dia de divulgação do PMI da Europa. Na zona do euro, o PMI de serviços ficou em 49,6, ante 45,7 de fevereiro e projeção de 48,8. O PMI composto, que consolida o setor de serviços e a indústria, foi de 48,8 para 53,2. A expectativa era por 52,5. A leitura, acima de 50, deve repercutir positivamente, já que indica crescimento da atividade.

No Reino Unido, no entanto, a leitura veio abaixo da projeção. O PMI de serviços recuou de 56,8 para 56,3. A expectativa era por 56,8. O PMI composto foi de 56,6 para 56,4, quando se esperava resultado de 56,6. Ainda assim, as leituras são superiores aos 50 pontos.

Veja as cotações às 14h45:

Mercados Nova York

  • S&P: +0,05%
  • Nasdaq: -0,04%
  • Dow Jones: -0,03%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: -0,08%
  • FTSE, Reino Unido: +0,97%
  • CAC, França: +0,12%4
  • FTSE MIB, Itália: 0%
  • Stoxx 600: -0,11%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: +0,12%
  • Xangai, China: -0,10%
  • HSI, Hong Kong: -0,91
  • ASX 200, Australia: +0,61%
  • Kospi, Coreia: +0,33%

Petróleo

  • Brent (junho 2021): US$ 62,92 (+0,29%)
  • WTI (maio 2021): US$ 59,48 (+0,25%)

Ouro

  • Ouro futuro (junho 2021): US$ 1.737,40 (-0,32%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian: US$ 151,88 (+1,69%)