Ibovespa abre em queda, futuros de NY operam perto da estabilidade

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Flickr

O Ibovespa abre em queda de 0,65%, aos 126.100 pontos, nesta terça-feira (6).

A bolsa voltou ontem aos 126 mil pontos, enquanto o dólar ultrapassou os R$ 5,10 no mercado futuro. O ambiente político conturbado vem piorando o ambiente de negócios.

Pesquisa CNT mostrou uma piora significativa na avaliação do governo Jair Bolsonaro, com avanço nas chances de Luiz Inácio Lula da Silva para a presidência.

Ao mesmo tempo, o governo se vê diante de denúncias de irregularidades na compra de vacinas na CPI da Covid e de áudios que podem envolver o presidente no esquema das chamadas “rachadinhas” (confisco de parte do salário de funcionários públicos por parlamentares).

Destaques no Exterior

O destaque dos indicadores da semana sai amanhã, com a ata do Federal Reserve que deve sinalizar sobre retirada das compras de títulos e futuro dos juros americanos.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

Enquanto isso, hoje saem os índices dos gerentes de compras de serviços (PMI na sigla em inglês) da IHS Markit e do ISM. Ontem, o PMI da China indiciou recuo em junho, diante da nova variante delta da Covid-19. Nos EUA, no entanto, o número tende a ser favorável, devido à reabertura em consequência da ampla campanha de vacinação.

Já a zona do euro, as vendas no varejo cresceram 4,6% em maio ante abril, acima do consenso de 4,2%.

Ontem, o petróleo atingiu seu maior nível desde 2018, após a Opep adiar mais uma vez sua decisão sobre o aumento de produção, com a recusa da proposta pelos Emirados Árabes Unidos. O barril do tipo Brent superou os US$ 77.

Veja as cotações às 10h20:

Mercados de Nova York

  • S&P: -0,03%
  • Nasdaq: +0,15%
  • Dow Jones: -0,06%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: -0,11%
  • FTSE, Reino Unido: -0,15%
  • CAC, França: -0,13%
  • FTSE MIB, Itália: -0,05%
  • Stoxx 600: +0,20%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: +0,16%
  • Xangai, China: -0,11%
  • HSI, Hong Kong: -0,25%
  • ASX 200, Austrália: -0,73%
  • Kospi, Coreia: +0,36%

Petróleo

  • Brent (setembro 2021): US$ 76,12 (-1,35%)
  • WTI (agosto 2021): US$ 74,75 (-0,55%)

Ouro

  • Ouro futuro (agosto 2021): US$ 1.809,20 (+1,45%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian: US$ 190,41 (+2,84%)