Bolsas ampliam alta, de olho na apuração de votos nos EUA

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: B3/Divulgação

A bolsa de valores brasileira avançou um pouco mais no início de tarde desta quarta-feira (4), com os investidores acompanhando as eleições presidenciais dos EUA e a acirrada disputa entre Donald Trump e Joe Biden.

O Ibovespa registrava, perto das 15h45, alta de 2,12%, aos 97.776,80 pontos, seguindo o desempenho dos mercados internacionais. As bolsas europeias fecharam em alta e as de Nova York registram valorização.

Exterior

As apurações prosseguem nos EUA, sem que ainda se tenha uma ideia do vencedor.

Conheça a FinTwit, o maior fórum de finanças do mundo.

Hoje o Twitter é pauta na Money Week.

Joe Biden está à frente por uma margem pequena de votos, porém não saíram os resultados em estados bastante relevantes.

Mais cedo, Trump reivindicou vitória, mesmo com as cédulas ainda sendo contadas.

Em discurso, ele afirmou que deve solicitar a intervenção da Suprema Corte, apesar de seu desempenho estar mais forte do que apontavam as pesquisas.

Biden obteve vitórias iniciais em estados tradicionalmente democratas no leste dos EUA, enquanto Trump conquistou redutos republicanos no sul e no meio-oeste, de acordo com a Associated Press. Trump venceu na Flórida, um estado crucial na corrida à Casa Branca, encerrando quaisquer esperanças do ex-vice-presidente Biden de obter um nocaute precoce na eleição.

Assim, as primeiras perspectivas de uma resolução rápida para a eleição dos EUA deram lugar à realidade de um processo extenso, não apenas no que diz respeito à Casa Branca, mas também ao Senado, o que pode representar um aumento considerável na volatilidade até que o caminho a seguir se torne mais claro.

PMIs compostos

Na Europa, o Índice dos Gerentes de Compras (PMI na sigla em inglês) composto teve retração, indo de 50,4 pontos para 49,4 em outubro. O de serviços recuou de 48 para 46,2.

Já na China, o indicador teve avanço. O PMI composto foi de 54,5 para 55,7

O PMI do setor de serviços foi de 54,8 para 56,8. Pontuações acima de 50 indicam crescimento da atividade.

Brasil

Por aqui, a Câmara derubou há pouco o veto do presidente Jair Bolsonaro ao projeto de desoneração da folha de pagamento de 17 setores, contrariando o que defende a equipe econômica. A previsão é de um impacto nas contas públicas de R$ 10 bilhões. O Senado ainda precisa analisar o veto.

Ontem, senadores aprovaram o projeto de lei (PL) que confere mandato de quatro anos com autonomia para o presidente e diretores do Banco Central. O projeto segue para a Câmara dos Deputados.

Dando continuidade à temporada de balanços, saíram os resultados de Gol (GOLL4), Banco ABC (ABCB4) e Daycoval e devem sair ainda hoje Alpargatas (ALPA3), Alper (APER3), , Banco Pan (BPAN4), BR Properties (BRPR3), Brasil Agro (AGRO3), D1000 (DMVF3), Ecorodovias (ECOR3), Hering (HGTX3), Profarma (PFRM3), São Carlos (SCAR3) e Ultrapar (UGPA3).

*Com Filipe Teixeira, da Wisir Research

Veja as cotações às 14h:

Mercados de Nova York

  • S&P: +3,18%
  • Nasdaq: +4,25%
  • Dow Jones: +2,67%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: +1,95%
  • FTSE, Reino Unido: +1,67%
  • CAC, França: +2,44%
  • FTSE MIB: +1,96%
  • Stoxx 600: +2,05%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: +1,72%
  • Xangai, China: +0,19%
  • HSI, Hong Kong: -0,21%
  • ASX 200: -0,07%
  • Kospi, Coreia: +0,60%

Petróleo

  • WTI (dezembro 2020): US$ 38,98 (+3,51%)
  • Brent (janeiro 2021): US$ 41,15 (+3,63%)

Ouro

  • Ouro futuro (dezembro 2020): US$ 1.901,30 (-0,47%)