Ibovespa segue em queda; mercados externos ficam mistos

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Foto: Investimentos no pós-pandemia

Os mercados externos operam mistos nesta quarta-feira (3), de olho no recuo dos juros do Tesouro americano e notícias sobre lockdown.

O Ibovespa opera em queda de 2,82%, aos 108.377,45 pontos, às 16h.

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 3,2% no quarto trimestre de 2020, acima do esperado pelo mercado, mas fechou 2020 com queda de 4,1%, abaixo das expectativas. Ainda assim, os analistas lembram que as próximas leituras tendem a ser piores, já que houve recrudescimento da pandemia no Brasil.

Abra agora sua conta na EQI Investimentos e tenha acesso a opções de investimentos de acordo com seu perfil. Invista em suas Escolhas

O recuo é o maior já registrado desde o início da série histórica, em 24 anos. Em valores correntes, o PIB fechou o ano com R$ 7,4 bilhões.

O Senado vota nesta tarde a PEC Emergencial, com as definições sobre a nova rodada do auxílio emergencial.

Ontem, a bolsa fechou com alta de 1,09%, aos 111.539,80 pontos, depois da notícia de que o Bolsa Família não será tirado do teto de gastos, o que deu certo alívio ao mercado.

A quarta-feira ainda tem uma série de balanços, com CCR (CCRO3), Fras-le (FRAS3), Hering (HGTX3), Iochpe-Maxion (MYPK3), Lojas Americanas (LAME3), Lojas Quero-Quero (LJQQ3) e Taesa (TAEE11) divulgando seus resultados do quarto trimestre após o fechamento da bolsa.

Veja aqui a agenda completa da temporada de balanços.

Destaques no exterior

Na semana passada, a subida de 1,6% destes papéis causou apreensão nos investidores, com receio de inflação, aumento de juros e forte migração para a renda fixa, o que derrubaria os preços das ações.

Considerada uma prévia do payroll, folha de pagamentos oficial dos Estados Unidos, a Pesquisa ADP, realizada junto a Moody’s Analytics, foi divulgada hoje e revelou que o setor privado abriu 117 mil postos de trabalho em fevereiro.

O resultado veio abaixo da projeção do mercado, que aguardava 177 mil vagas. A leitura de janeiro foi revista de 174 mil para 195 mil.

Segundo análise do BTG Pactual (BPAC11), o resultado apresenta uma desaceleração importante em relação ao dado de janeiro.

O dia tem ainda a reunião da Opep+, que deve anunciar aumento de produção, o que tende a frear a alta do petróleo. E a divulgação pelo Federal Reserve (Fed), banco central americano, do Livro Bege, com a avaliação da recuperação da economia nos EUA.

PMIs de serviços e composto

Destaque também para o Índice dos Gerentes de Compras (PMI na sigla em inglês) de serviços e composto (indústria mais serviços) pelo mundo.

Na zona do euro, o PMI de serviços avançou de 45,4 para 45,7 em fevereiro. A projeção era 44,7 pontos. O PMI composto foi de 47,8 para 48,8, ante expectativa de 48,1.

No Reino Unido, os números vieram abaixo do esperado. O PMI de serviços ficou em 49,5, ante 39,5 de janeiro. Mas o mercado aguardava leitura de 49,7. O composto foi de 41,2 para 49,6, um salto também bastante considerável, mas a projeção era por 49,8 pontos.

No Japão, o PMI de serviços foi de 46,1 para 46,3. E, na China, ele recuou de 52 pontos para 51,5. O PMI composto da China também teve queda, de 52,2 para 51,7.

Vale lembrar que leituras abaixo de 50 pontos do PMI significam retração da atividade econômica, ao passo que leituras acima apontam crescimento.

Veja as cotações às 16h:

Mercados Nova York

 

  • S&P: -0,63%
  • Nasdaq: -1,99%
  • Dow Jones: +0,19%

Mercados Euro

  • DAX, Alemanha: -0,07%
  • FTSE, Reino Unido: +0,26%
  • CAC, França: -0,01%
  • FTSE MIB, Itália: -0,40%
  • Stoxx 600: -0,30%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: +0,51%
  • Xangai, China: +1,95%
  • HSI, Hong Kong: +2,70%
  • ASX 200, Australia: +0,82%
  • Kospi, Coreia: +1,29%

Petróleo

  • Brent (abril 2021): US$ 63,70 (+1,59%)
  • WTI (março 2021): US$ 60,80 (+1,76%)

Ouro

  • Ouro futuro (abril 2021): US$ 1.709,50 (-1,39%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian: US$ 178,45 (+1,81%)