Bolsa opera em queda; PEC dos precatórios fica para semana que vem

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/B3

O Ibovespa opera em queda de 0,99%, aos 102.625pontos.

A PEC dos Precatórios será lida nesta quarta-feira (24) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. No entanto, a votação na CCJ, que estava prevista para acontecer hoje, deve ser adiada para a próxima terça-feira (30), como afirmou o relator da proposta, Fenando Bezerra. A CCJ tem o poder de barrar o texto antes de ele ir a plenário. 

O texto a ser apresentado deve conter o Auxílio Brasil como permanente e não mais temporário. A expectativa é que haja um “fatiamento” da proposta para evitar que ela retorne à votação na Câmara. Se aprovada, a PEC abrirá uma brecha de R$ 106 bilhões no Orçamento de 2022.

Em indicadores, destaque para a Confiança do Consumidor, da FGV, que caiu 1,4 ponto em novembro, para 74,9 pontos. Este é o menor valor desde abril (72,5). O aumento da incerteza econômica decorre da inflação elevada, de uma política monetária restritiva e de maior endividamento das famílias. 

Mercados do exterior

Às vésperas do feriado de Ação de Graças, que fecha as bolsas nos EUA amanhã (25), e da Black Friday na sexta (que terá pregão reduzido), esta quarta-feira (24) é de importantes indicadores. 

Foi divulgada a segunda prévia do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA do terceiro trimestre, que apontou crescimento de 2,1% no período, ante 2% da leitura anterior. A expectativa do mercado, no entanto, era por 2,2%. No segundo trimestre deste ano, a alta do PIB foi de 6,7%.

Outro dado relevante divulgado nos EUA foram os novos pedidos de seguro-desemprego, que surpreenderam positivamente, 199 mil reivindicações, ante projeção de 260 mil. É o menor número desde o início da pandemia.

Também o Índice de Preços PCE, medida de inflação adotada pelo Fed, que deve subir 0,7% na leitura de outubro. E ainda os novos pedidos de seguro-desemprego, que devem ficar em 260 mil, ante 268 mil da semana passada. 

À tarde, será divulgada a ata da última reunião do Fomc, que pode apresentar mais detalhes sobre tapering e possível sinalização de quando acontece a alta de juros nos EUA.

Mercados de Nova York

  • Dow Jones: -0,53%
  • S&P: -0,53%
  • Nasdaq: -0,72%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: -0,87%
  • FTSE, Reino Unido: -0,07%
  • CAC, França: -0,72%
  • FTSE MIB, Itália: -0,25%
  • Stoxx 600: -0,32%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: -1,58%
  • Xangai, China: +0,10%
  • HSI, Hong Kong: +0,14%
  • ASX 200, Austrália: -0,15%
  • Kospi, Coreia: -0,10%

Petróleo

  • Brent (dezembro 2021): US$ 82,18 (-0,12%)
  • WTI (novembro 2021): US$ 78,35 (-0,19%)

Ouro

  • Ouro futuro (dezembro 2021): US$ 1.784,60 (+0,04%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian: US$ 96,536 (+5,84%)