Bolsa de valores segue em queda; Nova York tem alta

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/B3

O Ibovespa segue em forte queda e recua 1,69%, aos 104.541 pontos.

No Brasil, o Boletim Focus trouxe novamente, pela 32ª semana consecutiva, alta na projeção da inflação. O IPCA deve atingir até o final do ano 9,77%, na visão do mercado. Há quatro semanas, a previsão era de 8,69%. 

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

O PIB também voltou a ter a expectativa reduzida, na quinta semana seguida: 4,88%, ante 5,01% de quatro semanas atrás. Câmbio segue previsão de R$ 5,50 e Selic, de 9,25% – vale lembrar que a próxima reunião do Copom acontece dias 7 e 8 de dezembro. 

Para 2022, atenção à projeção para o PIB, que caiu a 0,93%, ante 1,50% de quatro semanas atrás. Entenda, aqui, o que vem acontecendo com as projeções para o PIB.  

Hoje ainda, o IBC-Br, considerado uma prévia do PIB, apontou recuo de 0,27% em setembro. No ano até agosto, a alta é de 5,88% sem ajuste e, em 12 meses, 4,22%.

A bolsa reabre após feriado da Proclamação da República. E segue a temporada de balanços.

No campo da saúde, o Brasil atinge a taxa de 59,8% da população totalmente imunizada contra a Covid-19, ultrapassando assim os EUA, onde a taxa é de 57,6%, segundo levantamento da Universidade de Oxford.  

Mercados do exterior

Os mercados globais operam mistos nesta terça-feira (16). Destaque para o PIB da zona do euro, que subiu 2,2% no terceiro trimestre, e 3,7% na comparação anual, em linha com as expectativas. 

Destaque ainda hoje para as vendas no varejo dos EUA, que subiram 1,7%, acima da expectativa de 1,2%. A produção industrial subiu 1,6%, acima da estimativa de 0,7%.  

Na segunda (15), o presidente Joe Biden assinou o pacote de infraestrutura de US$ 1,2 bi

E também teve uma conversa virtual em tom amigável com Xi Jinping, presidente chinês, pedindo colaboração mútua para reduzir as tensões comerciais.

Seguem as apreensões quanto à inflação e a uma possível aceleração de passos do Federal Reserve (Fed), banco central americano, quanto ao tapering e a hora de subir juros.

Mercados de Nova York

  • Dow Jones: +0,51%
  • S&P: +0,50%
  • Nasdaq: +0,66%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: +0,61%
  • FTSE, Reino Unido: -0,34%
  • CAC, França: +0,34%
  • FTSE MIB, Itália: -0,23%
  • Stoxx 600: +0,17%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: +0,11%
  • Xangai, China: -0,33%
  • HSI, Hong Kong: +1,27%
  • ASX 200, Austrália: -0,67%
  • Kospi, Coreia: +0,08%

Petróleo

  • Brent (dezembro 2021): US$ 82,77 (+0,88%)
  • WTI (novembro 2021): US$ 80,31 (+0,70%)

Ouro

  • Ouro futuro (dezembro 2021): US$ 1.875,05 (+0,45%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian: US$ 84,6 (-1,10%)