“A gestão do Mandetta acabou”, diz secretário ao anunciar saída do Ministério da Saúde

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Reprodução / YouTube / Ministério da Saúde

Wanderson Kleber de Oliveira, secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, se despediu do cargo nesta quarta-feira (15) e deu a entender que Luiz Henrique Mandetta também está encerrando seu ciclo na pasta.

De acordo com a Rede Record, Wanderson utilizou o Slack, aplicativo de troca de mensagens similar ao WhatsApp, para informar que permanecerá no cargo somente até sexta-feira. E que Mandetta deve sair “nas próximas horas ou dias”.

“Finalmente chegou o momento da despedida. Ontem tive reunião com o Ministro e sua saída está programada para as próximas horas ou dias. Infelizmente não temos como precisar o momento exato. Pode ser um anúncio respeitoso diretamente para ele ou pode ser um Twitter. Só Deus para entender o que o querem fazer”, diz trecho do comunicado.

Perdeu a Money Week?
Todos os painéis estão disponíveis gratuitamente!

Wanderson afirmou ainda que “vai entregar o cargo quando a situação do Mandetta for resolvida” e que “todos estão livres para fazer o que desejarem”.

De acordo com a mensagem reproduzida pela Record, Gerson Pereira foi indicado por Wanderson para ocupar seu lugar no Ministério da Saúde e “a maioria da equipe vai permanecer para dar continuidade ao trabalho de excelência que sempre fizeram”.

João Gabbardo, atual número 2 do Ministério da Saúde, surgiu nesta quarta-feira como um nome forte para assumir, mesmo que momentaneamente, a vaga de Luiz Henrique Mandetta assim que a exoneração do Ministro for confirmada pelo presidente Jair Bolsonaro.

Currículo

O agora ex-secretário de Vigilância esteve no cargo desde o início da pandemia e era pessoa de total confiança de Luiz Henrique Mandetta.

Referência em Epidemiologia, Wanderson também tem no currículo o controle da epidemia do zika vírus, que causou temor no País às vésperas das Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016.

Mandetta cobra “fala única” de Bolsonaro para não confundir população

STF: estados e municípios têm autonomia para determinar isolamento social