Segundo dados da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), 85% dos investidores brasileiros (cerca de 62 milhões de pessoas) seguem guardando dinheiro em suas cadernetas de poupança, apesar de a mesma, atualmente, render míseros 0,37% ao mês!

Você já se perguntou quem realmente está ganhando dinheiro com o seu investimento na poupança? Com certeza não é você!

Quando descontamos a inflação do período, o resultado é ainda mais trágico, sendo inclusive negativo em alguns casos, conforme o gráfico abaixo (onde a rentabilidade real é igual ao rendimento da poupança menos a inflação).

Ao fim deste texto, TE MOSTRAREI COMO OBTER 18,88% A MAIS NA SUA RENTABILIDADE (no mínimo) com a mesma segurança e a mesma liquidez (possibilidade de saque a qualquer momento) da sua caderneta de poupança!

Boa parte destes 62 milhões de pessoas, acabam investindo na caderneta de poupança em virtude de sua segurança e principalmente, pelo fato de o dinheiro não ficar “preso”, podendo ser sacado em qualquer eventualidade ou urgência.

De fato, é verdade que a poupança é realmente muito segura e o dinheiro depositado nela é 100% líquido. Mas quando falamos em investimento, é impossível ignorar um fator tão ou mais importante quanto a segurança e a liquidez: Falo da RENTABILIDADE.

Até o futebol, que há mais de 100 anos se notabilizava pelo conservadorismo, aderiu ao uso da tecnologia. E você, vai continuar investindo com dois séculos de atraso?

Provavelmente você tem acompanhado os jogos da copa do mundo e percebeu que a FIFA finalmente autorizou o uso do árbitro de vídeo em lances capitais de jogo.

No Brasil, o futebol começou a ser praticado no final do século XIX trazido pelos ingleses. Um pouco antes, mais precisamente em 1861, Dom Pedro II criou o decreto que instituiu e regulou a Caixa Econômica Federal e ao mesmo tempo a caderneta de poupança, que naquela época rendia 6% ao ano, ou seja, melhor do que hoje, 157 anos depois!

Mesmo que você tenha um perfil mais conservador em seus investimentos, com a evolução do sistema financeiro brasileiro, não faz mais nenhum sentido você investir em cadernetas de poupança apenas porque ela é tradicional.

Os telefones públicos também são tradicionais, mas nem por isso você hesitou em comprar um celular. Por que com os seus investimentos deveria ser diferente?

Veja bem, não há nenhum problema em gostar de coisas antigas (ou tradicionais). Eu mesmo ainda me rendo ao som do bom e velho vinil. Mas quando se trata do meu dinheiro e principalmente, do meu futuro, a conversa muda de figura.

O segredo que os grandes bancos (através de seus gerentes), insistem em esconder de você.

O que contarei agora, deveria ser uma informação amplamente divulgada a todos que investem ou ainda estão pensando em investir.

No entanto, os grandes bancos brasileiros (leia-se Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Federal e Santander) fazem questão de não incluir em suas magníficas peças publicitárias o que de fato, garante os investimentos da caderneta de poupança.

Se você tinha em mente que a garantia era a própria solidez financeira do seu banco, você errou.

Quem garante as aplicações financeiras da caderneta de poupança (e de outros investimentos que falarei mais tarde) é o FGC – O Fundo Garantidor de Crédito.

O que é e o que faz o Fundo Garantidor de Crédito?

O FGC é uma associação sem fins lucrativos que administra um mecanismo de proteção aos correntistas e investidores contra casos de falência ou liquidação de instituições financeiras.

Talvez você esteja pensando: “Eu não confio nestas garantias. Meu banco está comigo há anos e nunca tive problemas. Por que deveria confiar em um texto de internet. Quem me garante que não e um golpe?”

Bom, uma breve pesquisa na internet lhe permitirá confirmar o que estou dizendo. Atualmente o FGC possui disponível em seu caixa, mais de R$ 66 bilhões já tendo “salvo” milhares de investidores (casos dos bancos BVA, Cruzeiro do Sul e recentemente o Neon).

Quais investimentos são cobertos pelo FGC?

Além da poupança, outros investimentos de crédito bancário também possuem a mesma cobertura do FGC. São eles:

-CDBs
– Letras de câmbio
– Letras imobiliárias
– letras hipotecárias;
– Letras de crédito imobiliário (LCI)
– Letras de crédito do agronegócio (LCA)

Eu recomendo fortemente que você pesquise sobre tudo isto que estou afirmando, afinal, é sempre importante verificar as informações, principalmente quando tratam diretamente sobre o nosso dinheiro.

E como ganhar os tais 18,88% a mais de rentabilidade?

Bom, espero que a questão segurança tenha sido superada, para que possamos avançar no que realmente me motivou a escrever este material: O ganho de rentabilidade.

Separei dois exemplos de CDBs disponíveis na plataforma da XP Investimentos (imagem acima), um prefixado em 12,45% (investimento 1) e outro pós-fixado, pagando 121% do CDI (investimento 2), ambos comparados à poupança (investimento 3), no período de três anos (tempo médio revelado pela pesquisa).

Para tornar o entendimento mais fácil, utilizei um aporte de R$100.000,00 reais. Lembre-se, independente do banco escolhido, os CDBs possuem a garantia do FGC, portanto são tao seguros quanto a poupança.

Vamos aos resultados:

Note que em três anos, o ganho real (descontado a inflação simulada no período) investindo pela poupança, seria de apenas R$ 5.010,45. Enquanto que o investimento realizado no melhor cenário, o CDB prefixado de 12,45% gerou um ganho de R$ 24.843,27, uma diferença de quase R$20.000,00!

Talvez você esteja pensando que a diferença não é tão grande assim e já leu anúncios por aí, oferecendo rentabilidades de 400%, 500%, 1000% ao ano. Bom, eu afirmo com toda a convicção que quem promete este tipo de rentabilidade, está totalmente mal-intencionado e na verdade está planejando tomar todo o seu dinheiro.

Não sei quanto a você, mas eu, prefiro deixar estes R$ 20 mil no meu bolso e não no dos banqueiros.

Cabe o registro de que a SELIC tende a aumentar já no curto e médio prazo, o que potencializará a diferença entre os investimentos de renda fixa e a poupança.

E qual o primeiro passo para que você pare de perder dinheiro?

Agora que você já compreendeu como funciona a garantia do seu investimento em caderneta de poupança, descobriu que ela é a mesma de alguns investimentos em renda fixa, e que eles podem te dar uma rentabilidade de quase 20% a mais, o próximo passo é descobrir qual o seu perfil de investidor e posteriormente conversar com um assessor de investimentos.

O que será abordado nesta conversa com o seu assessor:

– O que é e o que faz uma corretora;
– Quem é a XP Investimentos e por que a recomendamos;
– Quem é e como um assessor financeiro irá te ajudar a crescer seu patrimônio;
– Por que um assessor não tem custo algum para você (é a corretora que paga);
– E como conseguir investimentos muito melhores que os que você tem acesso em seu banco.

Todas necessárias para que você tenha mais confiança e tranquilidade na hora de investir.

Por favor, preencha os dados abaixo, para que possamos verificar se existe algum assessor de investimentos disponível em sua região. Lembrando que nossa assessoria é gratuita.

[progressive-profiling landing-page=”cpwritev3″]