4 bancos brasileiros concentram 78% do crédito brasileiro

Pessoal, impressionante quando falamos de concentração de dinheiro em poucas mãos, da formação de carteis e etc, seja em qualquer setor, o maior prejudicado é sempre o consumidor final. Apenas 4 bancos brasileiros concentram 78% do crédito brasileiro.

Gustavo Strauch
Sócio da Eu Quero Investir, responsável pela operação EQI Investimentos SP, presente no mercado de capitais desde 2001, palestrante, professor, esteve presente em operações como XP Investimentos, Vinci Partners e Genial Investimentos. Formado em Economia e Finanças pela IBMEC e mestrando em Administração de Empresas pela mesma instituição.
img-capa

Foto: img-capa

Lembramos até pouco tempo a qualidade do serviço de taxi nas grandes capitais antes de entrar o Uber como seu maior concorrente, sem duvida melhorou, temos o serviço de taxi melhor, mais barato e aberto a concorrências.

[banner id=”teste-perfil”]

Em resumo, ambiente de concorrência é sempre melhor para o consumidor. E com a mercadoria mais importante de nossa economia não é diferente, o dinheiro.

Nossa Economia é um tanque de dinheiro

Imaginem exatamente desta forma, nossa economia é um taque de dinheiro ondem existem válvulas que colocam e tiram o dinheiro de nossa economia.

Dinheiro por sua vez é uma mercadoria com outra qualquer, exemplo o Diamante, que é caro por ser raro e de difícil extração e o Chuchu que é barato por sua abundancia.  Portanto o dinheiro se torna caro quanto mais raro for, dentro de um taque de recursos disponíveis em uma economia.

[banner nome=”facebook”]

Muitos economistas definem Juros como o preço do dinheiro em uma economia. Em resumo temos:

[tie_list type=”checklist”]

  • Juros Altos >> consumo fica caro (não compramos carros, imóveis, nada que dependa de financiamento) > isso faz a indústria produzir menos bens de consumo > gerando desemprego > os empresários percebem que o retorno de suas empresas ficam abaixo dos Juros, portanto reduzem sua capacidade produtiva e aplicam seus recursos > desta maneira os empresários são forcados a reduzir os preços de produtos e serviços para o mínimo possível > com emprego e renda escassos, o dinheiro na economia fixa escasso e portanto valendo muito, e vale muito pois o Juros estão Altos > tanque do dinheiro fica vazio e economia “parada”.
  • Juros Baixos (cenário atual do Brasil) >> Atualmente percebemos o governo acentuando a queda de Juros, com o objetivo de torna-lo mais barato e acessível a todos os agentes econômicos. Com mais dinheiro nas mãos, com o tanque da encomia cheio, passamos a poder comprar um carro novo, financiar um imóvel, jantar ou almocar com a família, viajar ou trocar os moveis de casa, enfim, passamos a consumir mais e a aquecer a economia como um todo.

[/tie_list]

Agora, porque isso não ocorreu? Continuamos com o mesmo carro, comprar um apartamento financiado está caro, porque o “Dinheiro continua caro mesmo com os Juros Baixos”?

Certo que os movimentos em economia não são pontuais, são mais lentos sim e a percepção de ações macroeconômicas demoram mais para chegar em nossa casa, em nossas mesa e em nosso dia a dia.

Um dos fatores, e muitos dizem que é um dos mais importantes, se deve pelo fato de termos 4 grandes Bancos concentrando mais de 78% de todo o dinheiro (credito) disponível na economia para nos consumidores.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

[box type=”info” align=”” class=”” width=””]Como em um Cartel, e na velha estratégia do “gatilho” da Teoria dos Jogos, temos nossos Tubarões da Economia dificultando o consumo, o crescimento de outros setores da economia, em detrimento do faturamento recorde que os bancos seguem alcançando. E isso ocorre com Juros Altos ou Baixos, impressionante. Claro que estamos falando de Itau, Bradesco, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal.[/box]

Nosso governo tem atuado regulando algumas torneiras que “colocam mais dinheiro na economia” como reduzir a taxa de compulsório dos bancos. (Taxa de Compulsório = percentual que os bancos são obrigados a depositar no Banco Central de cada real depositado por seus clientes) Reduzindo o compulsório o governo entende que os Bancos terão mais recursos para emprestar, e por ter mais recursos entendem que os Bancos ofertarao a “mercadoria dinheiro” a preços menores. (Juros Menores) Mas como em um Cartel, parece que os nossos “Big Four” não querem de jeito nenhum abrir mão de suas margens, pelo contrário, estão achando ótimo ter mais dinheiro para emprestar mais caro !

O que nos resta fazer?

Bem, como consumidor, minha decisão é não consumir mesmo. Não vou comprar imóveis com estes juros caros e muito menos comprar um carro novo. Quem sabe a minha atitude junto com a de todos vocês possam pressionar os Bancos a se adaptarem a nossa realidade e pensar um pouco mais em financiar o nosso crescimento. Sem dúvida todos podemos ganhar!

[box type=”note” align=”” class=”” width=””]Em termos de Banco Central, em audiência publica no Senado Federal, o presidente sr. Ilan Godlfajn declarou que o ritmo de queda dos juros bancários não estão adequados.[/box]

Enfim, vamos torcer por nosso Banco Central ser mais incisivo frente aos grandes bancos e como consumidores devemos “não pagar nada com juros tão altos”.

Hoje para vocês terem ideia aplicamos o nosso dinheiro a 6,5% (em poucos casos dado os custos operacionais) e pagamos 11% – 18% para comprar um imóvel ao ano, 18% – 30% ao ano para trocar de carro e nossa inflação esta cada vez menor (2,68% nos últimos 12 meses). Não faz sentido !